São Paulo 470 anos: 15 atrações paulistanas para visitar pelo Google Maps
Acesse o menu principal

Maps

São Paulo 470 anos: 15 atrações paulistanas para visitar pelo Google Maps

Ilustração com o prédio do Masp em São Paulo, em aquarela

"Terra da Garoa", "Cidade que nunca dorme", "Paulicéia desvairada", "Selva de pedra" ou simplesmente "SP". Comemorando 470 anos hoje, São Paulo é a maior cidade da América Latina e a segunda casa do Google no Brasil (a primeira foi Belo Horizonte, em 2005).

Para homenagear a metrópole que "nunca descansa" com um roteiro cultural da gema, ou seja, superpaulistano, separamos uma lista de atrações para "visitar" do conforto do seu lar usando o Google Street View e o novo recurso Visualização Imersiva, já disponível para algumas atrações listadas abaixo.

1. Museu de Artes de São Paulo (MASP) e Avenida Paulista

Edifícios residenciais e comerciais, parques, casarões históricos, além de diversos museus e centros culturais fazem parte da Avenida Paulista, via inaugurada em 1891 e que sempre refletiu a modernidade da cidade de acordo com cada época. O MASP ficava na rua 7 de Abril até ser transferido, em 1968, para a nova locação na Paulista. A arquitetura modernista marcante que preserva o conhecido vão livre abaixo do edifício suspenso é um projeto de Lina Bo Bardi. Conheça também a coleção do MASP no Google Arts & Culture aqui.

O MASP é uma das atrações paulistanas que podem ser visitadas pelo recurso de inteligência artificial Visualização Imersiva. Com essa funcionalidade, é possível ver imagens em 3D em uma visão 360º para uma experiência mais imersiva e intuitiva de um local. Para experimentar, basta procurar pelo MASP diretamente no Google Maps pelo celular.

Gif mostrando o recurso de visualização imersiva, com imagens em 3D do Masp

Visualização imersiva do MASP

2. Marco Zero, Praça da Sé e Catedral da Sé

Construído em 1934 e tombado em 2007, o monumento que determina o Marco Zero da cidade fica na Praça da Sé, em frente à Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Assunção e São Paulo, mais conhecida como Catedral da Sé. Pelo Street View, é possível avistar o Marco Zero, observar a arquitetura da praça e o estilo neogótico da Catedral que guarda os restos mortais de figuras históricas como o padre José de Anchieta e o cacique Tibiriçá. A Catedral da Sé também pode ser vista com o recurso de Visualização Imersiva pelo Google Maps no celular.

3. Pateo do Collegio

A construção do Pateo do Collegio encomendada pelos padres jesuítas Manoel da Nóbrega e José de Anchieta, inaugurada em 25 de janeiro de 1554, é considerada como o marco inicial do nascimento da capital paulista. Reformada e reconstruída várias vezes, também abrigou diversos órgãos governamentais. De volta aos jesuítas, funciona como Museu Anchieta desde 1979. O Pateo também pode ser visto com o recurso de Visualização Imersiva pelo Google Maps no celular.

4. Parque Ibirapuera

Joia verde da cidade, o Ibira, para os íntimos, é um respiro na natureza sem sair muito do centro. São 158 hectares e muitos atrativos dentro do parque inaugurado em 1954. Bom para relaxar, fazer atividades ao ar livre ou visitar os vários museus que ficam por lá.

5. Museu do Ipiranga

Museu do Ipiranga é o museu público mais antigo da cidade, foi inaugurado em 7 de setembro de 1895 e projetado para ser um monumento-edifício comemorativo da Proclamação da Independência. Desde 1894, passou a abrigar também o Museu do Estado (ou Museu Paulista). Fechado por nove anos, reabriu ao público em 7 de setembro de 2022.

6. Museu do Futebol

O Museu do Futebol foi inaugurado em 29 de setembro de 2008, no avesso das arquibancadas do Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, também conhecido como Pacaembu. A exposição principal, distribuída em 15 salas temáticas, narra a história da chegada do futebol ao Brasil e conta como o esporte se tornou parte da nossa cultura. Visite a exposição online no Google Arts & Culture aqui.

7. Edifício Martinelli

Em funcionamento desde 1929, foi idealizado por Giuseppe Martinelli e projetado por Vilmos (William) Fillinger. O Edifício Martinelli revolucionou a arquitetura do período, trazendo o conceito de arranha-céu para São Paulo, com seus 30 andares e 105 metros de altura. Pelo Street View, passando o Martinelli e descendo a avenida São João chega-se ao cruzamento com a avenida Ipiranga – exatamente como canta Caetano Veloso na música "Sampa".

8. Centro de Tradições Nordestinas

O CTN é um dos maiores pontos de concentração da cultura do Nordeste na capital paulista. Inaugurado em 1991, promove eventos sociais, gastronômicos e artísticos que valorizam a cultura nordestina. Uma das festas mais populares do CTN é o arraial de São João.

9. Bairro da Liberdade e Museu Histórico da Imigração Japonesa

Inaugurado em 1978, o Museu abriga mais de 97 mil itens que pertenceram aos imigrantes japoneses que se mudaram para o Brasil. Na visita pelo Street View, é possível passar pela fachada do prédio (o Museu fica nos andares 7, 8 e 9) e seguir pela rua Galvão Bueno em direção à Praça da Liberdade, um passeio clássico para quem quer conhecer mais sobre a cultura asiática.

10. Museu das Favelas

Sediado no Palácio dos Campos Elíseos, o Museu das Favelas fica na região central em um edifício histórico. Finalizado em 1899 para ser a residência do cafeicultor e político Elias Antônio Pacheco e Chaves e família, também serviu como residência governamental e sede de Governo. Desde 2022, vem se consolidando como um ambiente de pesquisa, preservação, produção e comunicação das memórias e potências criativas das favelas brasileiras. Conheça também a coleção do Google Arts & Culture sobre o espaço.

11. Museu da Imigração

Antes de se tornar Museu, o local inaugurado em 1887 no Brás funcionou como a Hospedaria de Imigrantes até 1978. Chegou a abrigar cerca de 2,5 milhões de imigrantes de mais de 70 nacionalidades, além de pessoas vindas de outros estados brasileiros. O acervo conta com objetos, registros textuais e iconográficos, publicações e relatos orais sobre a história das migrações no Brasil.

12. Beco do Batman

Entre as ruas Gonçalo Afonso e Medeiros de Albuquerque, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, está a famosa viela que, nos anos 1980, ganhou popularidade por abrigar muitos grafites e virar um ponto de encontro de arte urbana. O nome veio a partir de um grafite do homem-morcego, de autoria desconhecida até hoje, que sumiu sem deixar pistas.

13. Horto Florestal

Localizado na zona norte da cidade está o Parque Estadual Alberto Löfgren, também chamado de Horto Florestal, aos pés da Serra da Cantareira. Criado em 1896, é uma unidade de conservação com 73,9 hectares de áreas abertas à visitação com muitas opções de lazer, como lagos e ilhas Pinheiro do Brejo, Museu Florestal, Palácio de Verão, mirante e playground.

14. Parque do Carmo

Inaugurado em 1976, o Parque do Carmo Olavo Egydio Setúbal disponibiliza 390 mil metros quadrados de preservação de mata atlântica e muitas opções de lazer para os moradores da zona leste. Planetário, Museu, áreas esportivas, lagos e, pelo menos, 64 espécies de aves e mamíferos fazem parte do parque.

15. Pinacoteca, Estação da Luz e Museu da Língua Portuguesa

A Estação da Luz, importante rota ferroviária do Estado de São Paulo, foi inaugurada em 1867. Já a Pinacoteca, museu de artes visuais com ênfase em artistas brasileiros do século 19, também na Praça da Luz, foi fundada em 1905. O edifício da Pina pode ser visitado pelo recurso Visualização Imersiva no Google Maps pelo celular, já a coleção online pode ser conhecida no Google Arts & Culture. O Museu da Língua Portuguesa, que também fica na região, também pode ser visitado online aqui.