Quem eram os príncipes na torre? - Leitura de História

Leitura de História

Quem eram os príncipes na torre?

No artigo de hoje vamos falar sobre o desaparecimento de dois possíveis herdeiros do trono da Inglaterra, Os Príncipes da Torre.

Esse fato foi decantado em prosa e verso, e é tema de muitas obras literárias. Entre as principais estão Sir Thomas More e William Shakespeare, que descreveram a história dos “Príncipes da Torre”.

Com a morte de Eduardo IV, em 1483, seu filho mais velho, Eduardo V, se tornou o herdeiro natural da já unificada Inglaterra. Na ausência dele o direito de sucessão passaria a seu irmão mais novo Ricardo de Shrewsbury.

Mediante o fato, Eduardo, na época com 12 anos e Ricardo com 10, foram enviados a Torres de Londres para aguardar a coroação.

Os dois foram enviados à Torre por ordem de seu tio Ricardo III e desde esse fato nunca mais foram vistos. Sendo que Ricardo III assumiu o trono de forma provisória.

É natural que o principal suspeito pelo desaparecimento dos meninos seja seu próprio tio, Ricardo III. Pois tinha interesse direto sobre a herança hereditária deles.

Embora Eduardo e Ricardo tenham tido o mesmo desfecho na vida, sua origem e formação se deram de forma distintas.

Nascidos dentro de um conflito

Eduardo V e Ricardo de Shrewsbury nasceram e foram criados durante a Guerra das Rosas.

A Guerra das Rosas foi uma série de guerras civis que ocorreram na Inglaterra entre os anos de 1455 e 1485.

Tratava-se da batalha de famílias Plantageneta pela coroa, os Lancaster, simbolizados pela rosa vermelha e os York, simbolizados pela rosa branca.

Em 1461 Eduardo IV (York) capturou o rei Henrique VI (Lancaster), aprisionando o mesmo na Torre de Londres.

Se auto proclamou Rei da Inglaterra, mas seu reinado não foi aceito por todos.

Teve que continuar lutando para manter seu trono. Para complicar, em 1464 casou com uma viúva chamada Elizabeth Woodville.

Embora ela fosse de uma família nobre, Elizabete não tinha títulos importantes à altura de uma rainha.

O casamento foi tão impopular que o Conde de Warwick (O Criador de Reis), que estava tentando arranjar para Eduardo uma princesa francesa, passou para o lado Lancaster.

Por outro lado, Elizabete e Eduardo tiveram um casamento longo e feliz. Tinham 10 filhos, incluindo Eduardo V e Richard de Shrewsbury.

Sua filha mais velha, Elizabete de York, acabaria se casando com Henrique Tudor, o futuro rei Henrique VII, acabando de vez com a Guerra das Rosas.

Eduardo V

Eduardo V, o primogênito de Eduardo IV e Elizabete, nasceu em 2 de novembro de 1470 na casa do abade de Westminster.

Como o primeiro filho do rei Yorkista, recebeu o título de Príncipe de Gales em junho de 1471, quando seu pai recuperou o trono.

Em vez de morar no palácio, cresceu sob a tutela de seu tio materno, Antônio Woodville, 2º Conde de Rivers.

Foi submetido a uma rotina rigorosa, começando com missa e café da manhã, seguido de estudos e leitura de literatura nobre.

Antônio, seu tio, era um intelectual, e tentou passar seu dom para o sobrinho.

Tanto é que Eduardo foi descrito por Domenico Mancini, um visitante religioso italiano da Inglaterra, como “educado e erudito” com “habilidades muito além de sua idade”.

Em 14 de abril de 1483, recebeu a notícia da morte de seu pai.

Pensando ser ele o novo rei, deixou sua casa em Ludlow escoltado para sua coroação pelo Protetor designado no testamento real, o irmão de seu pai, Ricardo de York.

Em vez disso, Eduardo viajou sem seu tio para Stony Stamford.

Ricardo num gesto de traição, mandou assassinar a companhia de Eduardo, seu tio Antônio, seu meio-irmão Ricardo Gray e seu camareiro, Thomas Vaughan.

Em 19 de maio de 1483, Ricardo fez com que o príncipe Eduardo se mudasse para a residência real na Torre de Londres, onde aguardaria a coroação.

Coroação que nunca aconteceu.

Um sermão público em junho, o bispo Jocelin de Wells, declarando que Eduardo IV estava vinculado a outro contrato de casamento quando se casou com Elizabete Woodville.

Portanto o casamento era nulo, todos os seus filhos eram ilegítimos ou bastardos.

Ricardo de Shrewsbury

O outro filho, Ricardo nasceu em Shrewsbury em 17 de agosto de 1473.

Um ano após, ele foi feito duque de York, iniciando uma tradição real de dar esse título ao segundo filho do monarca inglês.

Ao contrário do irmão, Ricardo cresceu ao lado de suas irmãs nos palácios de Londres.

Com 4 anos de idade, foi dado em casamento a Anne de Mowbray, 8ª Condessa de Norfolk, com 5 anos, em 15 de janeiro de 1478.

Anne ganhou um dote de seu pai, incluindo grandes extensões de terra no leste que Eduardo IV desejava.

O rei mudou a lei para que seu filho pudesse herdar a propriedade de sua esposa imediatamente, embora Ana tenha morrido apenas alguns anos depois, em 1481.

Em junho de 1483, Ricardo foi tirado da linha de sucessão e enviado para a Torre de Londres, onde ocasionalmente era visto com seu irmão no jardim.

Após o verão de 1483, Ricardo e Eduardo nunca mais foram vistos.

Aqui terminam os fatos e começam as especulações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *