Ducado de Módena e Régio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ducado de Módena e Régio

Ducato di Modena e Reggio
Ducatus Mutinae et Regii
Ducado de Módena

Ducado do Sacro Império Romano-Germânico

Bandeira
Bandeira
 
Escudo
Escudo
Bandeira Escudo
Lema nacional Dextera Domini exaltavit me
("A mão direita do Senhor me exaltou")

O Ducado de Módena e Régio na península Itálica no final de 1815

Detalhe da intrincada área da fronteira sul do Ducado, também no final de 1815
Continente Europa
Região Noroeste da península Itálica
Capital Módena
País atual Itália

Línguas oficiais
Religião oficial e maioritária catolicismo
Religião minoritária judaísmo
Moeda

Forma de governo monarquia absoluta
Duque
• 1452–1471  Borso d'Este
• 1846–1859  Francisco V

História  
• 1452  Concessão dos títulos de duque de Módena e de Régio a Borso d'Este por Frederico III
• 1471  Concessão do título de duque de Ferrara a Borso d'Este por papa Paulo II
• 1598  Perda de Ferrara
• 1796  Ocupação napoleónica e criação da República Cispadana
• 1814  Reestabelecimento do ducado
• 11 de junho
de 1859
  Criação das Províncias Unidas da Itália Central, um Estado satélite do Reino de Sardenha
• 1861  Integração no Reino de Itália

Área
 • 1850  6 019 km²

População


 • 1859   600 000  (est.)

O Ducado de Módena e Régio (em italiano: Ducato di Modena e Reggio), também conhecido apenas como Ducado de Módena, foi um Estado italiano que existiu de 1452 a 1859 (salvo um intervalo entre 1798 e 1814), cujo núcleo se situava no que são hoje, entre outras, as atuais províncias de Módena, Régio da Emília e Ferrara, na atual região da Emília-Romanha. O ducado teve origem com a família Este, originária de Ferrara (onde teve a capital até 1598).

Origem[editar | editar código-fonte]

Em 1288, a comuna livre de Módena, devido às lutas internas entre as famílias nobres locais, renunciou à liberdade comunal em favor de Obizzo II d'Este, marquês de Ferrara. Um ano depois também Régio ofereceu-se a Obizzo II que tornou-se assim senhor dessas duas províncias como vassalo do Sacro Império Romano-Germânico, enquanto Ferrara era feudo do Papa.

Em 1452, Borso d'Este (1413-1471) recebeu do sacro-imperador Frederico III o título de Duque de Módena e Régio e em 1471 do papa Paulo II o título de Duque de Ferrara.

Em 1597, após a morte sem filhos do Duque Alfonso II, o Papa Clemente VIII recusou-se a reconhecer como legítimo o herdeiro designado pelo falecido Duque, o Marquês de Montecchio César d'Este. Este último certamente descendia do duque Alfonso I através de seu pai, também chamado Alfonso, mas este era apenas filho natural do anterior, embora posteriormente legitimado. O papa, portanto, declarou vago o feudo de Ferrara e ordenou o seu confisco pela Câmara Apostólica, o que realmente ocorreu em 1598.

O Imperador Rodolfo II de Habsburgo, pelo contrário, reconheceu a legitimação do pai de César e concedeu a este último a investidura de Módena e Régio, que constituíram, portanto, a partir de então, os novos centros dos estados de Este, privados agora do Ducado de Ferrara.

A invasão por Napoleão[editar | editar código-fonte]

Em 1796, o ducado foi ocupado pelas tropas revolucionárias francesas de Napoleão Bonaparte e tornou-se parte da República Cispadana. Com o Congresso de Viena, o ducado passou a Francisco IV de Áustria-Este (filho de Maria Beatriz d'Este última descendente direta da linhagem histórica), que em 1829, com a morte de sua mãe, herdou também o território do Ducado de Massa e Carrara, obtendo assim uma saída para o mar Lígure.

Neste período, o ducado compreendia oficialmente as seguintes províncias:

Na aplicação pacífica e negociada da acta final do Congresso de Viena, do tratado colateral de Paris de 1817 e do tratado secreto de Florença de 1844, em 1847 o ducado realizou os seguintes alargamentos territoriais em troca de compensações muito limitadas: o antigo ducado de Guastalla e os territórios da margem direita do riacho Enza, anteriormente possessões do Ducado de Parma e Placência, foram anexados, bem como outros territórios toscanos pertencentes ao dissolvido Ducado de Luca e ao Grão-Ducado da Toscana: o Ducado de Módena e Régio chegou assim à sua máxima extensão territorial.

O fim do ducado[editar | editar código-fonte]

Em 1859, o ducado, juntamente com o Ducado de Parma e Placência e com a Toscana, tornou-se parte das Províncias Unidas da Itália Central, anexadas pelo Reino da Sardenha.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um Estado extinto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.