A edição do próximo ano da Eurovisão vai decorrer no Reino Unido. A confirmação oficial chegou esta segunda-feira, através de um comunicado publicado no site oficial da união de serviços públicos europeus de rádio e televisão (EBU), responsável pela gestão do concurso de canções.

No comunicado, os organizadores detalham que “nos próximos meses” vai ser escolhida a cidade britânica em que a Eurovisão vai decorrer no próximo ano. A escolha do Reino Unido como país anfitrião, já previamente veiculada como forte hipótese e agora confirmada, deve-se à falta de condições de segurança que permitam organizar a cerimónia na Ucrânia.

Assim, ao invés de decorrer no país dos mais recentes vencedores (os ucranianos Kalush Orchestra), o concurso vai decorrer no próximo ano no país que ficou em segundo lugar na mais recente edição, o Reino Unido, representado em 2021 pelo cantor Sam Ryder.

Próxima Eurovisão não será na Ucrânia. Reino Unido é forte hipótese

“Edição não vai ser na Ucrânia, mas vai acontecer em apoio à Ucrânia”

No comunicado em que a decisão é anunciada, a associação europeia de emissoras públicas de rádio e televisão informa que a BBC foi convidada para operar como transmissora anfitriã do 67º Festival Eurovisão da Canção. E revela que apesar do concurso não acontecer na Ucrânia, o país vai — como é habitual com o vencedor da edição anterior — qualificar-se automaticamente para a final.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O supervisor executivo do concurso, Martin Österdahl, é citado no comunicado referindo: “Estamos excecionalmente gratos por a BBC ter aceitado organizar a Eurovisão no Reino Unido em 2023”. Österdahl garante ainda que o país vencedor da última edição, a Ucrânia, será “celebrado e representado ao longo do evento”.

No mesmo sentido vão declarações de Mykola Chernotytskyi, responsável da emissora pública de rádio e televisão da Ucrânia: “O Festival Eurovisão da Canção de 2023 não vai ser na Ucrânia mas vai acontecer em apoio à Ucrânia. Estamos gratos aos nossos parceiros da BBC por terem mostrado que estão solidários connosco. Estou confiante que juntos conseguiremos introduzir o espírito ucraniano no evento e mais uma vez unirmos toda a Europa em torno dos nossos valores comuns de paz, apoio, talento e celebração da diversidade”.

A noite em que o coração da Eurovisão teve duas cores: azul e amarelo. Ucrânia venceu, Portugal ficou em 9.º lugar

No comunicado, informa-se ainda que representantes da emissora pública ucraniana vão cooperar com a BBC para “implementar elementos ucranianos nos espectáculos televisivos do próximo ano”.