Ana, Princesa Real

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ana
Princesa Real (mais)
A Princesa Real em 2021
Nascimento 15 de agosto de 1950 (72 anos)
  Clarence House, Londres,
Reino Unido
Nome completo  
en: Anne Elizabeth Alice Louise
pt: Ana Isabel Alice Luísa
Maridos Mark Phillips (1973–1992)
Timothy Laurence (1992–presente)
Descendência Peter Phillips
Zara Phillips
Casa Windsor
Pai Filipe, Duque de Edimburgo
Mãe Isabel II do Reino Unido
Irmãos Carlos III do Reino Unido
André, Duque de Iorque
Eduardo, Conde de Wessex
Religião Anglicanismo
Brasão

Ana, Princesa Real (Ana Isabel Alice Luísa, em inglês Anne Elizabeth Alice Louise; Londres, 15 de agosto de 1950) é uma aristocrata e membro da família real britânica por ser a filha da Rainha Isabel II do Reino Unido e do Príncipe Filipe, Duque de Edimburgo. Ana tem o título de Princesa Real desde 1987[1] e atualmente ocupa a 16.ª posição na linha de sucessão ao trono britânico.

Nascida na Clarence House, Ana foi educada na Escola Benenden e começou a assumir deveres reais na idade adulta. Tornou-se uma respeitada cavaleira, ganhando uma medalha de ouro em 1971 e duas de prata em 1975 no Campeonato Europeu de Eventos.[2] Em 1976, ela se tornou o primeiro membro da família real britânica a competir nos Jogos Olímpicos.

A Princesa Real desempenha diversas tarefas e compromissos oficiais em nome do monarca.[3] Ela tem patrocínio em mais de 300 organizações, incluindo WISE, Riders for Health, e Carers Trust.[3] Seu trabalho de caridade gira em torno do esporte, ciências, pessoas com deficiência e saúde em países em desenvolvimento. Ela está associada à Save the Children há mais de cinquenta anos e já visitou vários de seus projetos; seu trabalho resultou em sua indicação para o Prêmio Nobel da Paz em 1990.

Ana se casou com o capitão Mark Phillips em 1973; eles se separaram em 1989 e se divorciaram em 1992. O casal tem dois filhos, Zara e Peter Phillips, e cinco netos. Meses após seu divórcio, Ana se casou com o comandante (agora vice-almirante) Sir Timothy Laurence, que ela conheceu enquanto ele servia como mordomo de sua mãe entre 1986 e 1989. Em 1988, a princesa Ana tornou-se membro do Comitê Olímpico Internacional (COI).[4]

Início de vida e educação[editar | editar código-fonte]

Ana nasceu durante o reinado de seu avô materno, o Rei Jorge VI, na Clarence House em 15 de agosto de 1950 às 11h50, como segunda criança e única filha da Princesa Isabel, Duquesa de Edimburgo, e Filipe, Duque de Edimburgo. Uma salva de 21 tiros no Hyde Park sinalizou seu nascimento.[5] Ana foi batizada na Sala de Música do Palácio de Buckingham em 21 de outubro de 1950, pelo Arcebispo de Iorque, Cyril Garbett. Seus padrinhos eram a Rainha (mais tarde Rainha Isabel, A Rainha Mãe; sua avó materna); a Princesa Margarida, Princesa Hereditária de Hohenlohe-Langenburg (sua tia paterna); Princesa Alice de Battenberg (sua avó paterna); Louis Mountbatten, 1.º Conde Mountbatten da Birmânia (seu tio-avô paterno); e Andrew Elphinstone (seu primo em primeiro grau).[6] Na época de seu nascimento, ela era a terceira na linha de sucessão ao trono britânico, atrás de sua mãe – naquela época ainda princesa – e o irmão mais velho, Príncipe Carlos. Ela subiu para o segundo lugar após a ascensão de sua mãe e atualmente está na 17.ª posição na fila.

Uma governanta, Catherine Peebles, foi nomeada para cuidar de Ana e foi responsável por sua educação inicial no Palácio de Buckingham;[7] Peebles também serviu como governanta para o irmão mais velho de Ana, Carlos. Após a morte de Jorge VI em fevereiro de 1952, a mãe de Ana ascendeu ao trono como Rainha Isabel II. Dada a sua pouca idade na época, Ana não compareceu à coroação em junho de 1953.

A empresa Girl Guides, a 1.ª Companhia do Palácio de Buckingham a incluir o pacote Holy Trinity Brompton Brownie, foi reformada em maio de 1959, especificamente para que, como sua mãe e sua tia haviam feito quando crianças, Ana pudesse socializar com meninas de sua idade. A empresa esteve ativa até 1963, quando Ana foi para um internato.[8] Ana se matriculou na Benenden School em 1963. Em 1968, ela deixou a escola com seis níveis-O e dois níveis-A.[9] Ela começou a realizar compromissos reais em 1969, aos 18 anos.[10]

Em 1970, ela teve um breve relacionamento com Andrew Parker Bowles, que mais tarde se casou com Camilla Shand. Shand se casou muito mais tarde com o irmão de Ana, o Príncipe Carlos, como sua segunda esposa.[9] Ana também foi brevemente ligada ao cavaleiro olímpico de hipismo Richard Meade.[11]

Hipismo[editar | editar código-fonte]

Na primavera de 1971, a Princesa Ana terminou em quarto lugar no Rushall Horse Trials. Aos 21 anos, Ana ganhou o título individual no European Eventing Championship[5] e foi eleita a "Personalidade Esportiva do Ano" da BBC em 1971.[12] Ela também montou vencedores em corridas de cavalos, competindo no Grand Military Steeplechase em Sandown Park Racecourse e Diamond Stakes no Royal Ascot.[13]

Ana montando em um evento nos Países Baixos (1980)

Por mais de cinco anos, ela também competiu com a equipe britânica de eventos, com seu cavalo caseiro, Doublet, sofrendo uma lesão durante o Badminton Horse Trials de 1972,[14] e ganhando uma medalha de prata em disciplinas individuais e de equipe no 1975.[15] No ano seguinte, Ana participou dos Jogos Olímpicos de 1976 em Montreal como membro da equipe britânica, montando o cavalo da rainha, Goodwill, em Eventing.[16] Ana sofreu uma concussão no meio do curso, mas voltou a montar e terminou o evento; ela afirmou que não se lembra de fazer o resto dos saltos.[13] A equipe britânica teve que desistir da competição depois que dois cavalos se machucaram.[17][18] Ela terminou em sexto lugar no Badminton Horse Trials em 1979.[14] Em 1985, ela participou de uma corrida de cavalos beneficente no Epsom Derby, terminando em quarto lugar.[13]

Ana assumiu a presidência da Fédération Équestre Internationale de 1986 até 1994. Em 5 de fevereiro de 1987, ela se tornou o primeiro membro da família real a aparecer como concorrente em um programa de perguntas e respostas de televisão quando competiu no jogo do painel da BBC A Question of Sport.[15]

Casamentos e filhos[editar | editar código-fonte]

Casamento com Mark Phillips[editar | editar código-fonte]

Selo real no Seychelles anunciando o casamento da Princesa Ana e Mark Phillips, 1973

Ana conheceu Mark Phillips, um tenente da 1ª Guarda da Rainha, em 1968, em uma festa para amantes de cavalos.[19] Seu noivado foi anunciado em 29 de maio de 1973.[20][21] Em 14 de novembro de 1973, o casal se casou na Abadia de Westminster em uma cerimônia televisionada, com uma audiência estimada de 100 milhões.[22] Posteriormente, eles passaram a residir no Gatcombe Park. Como era costume para homens sem título se casarem com membros da família real, Phillips recebeu um condado, que ele recusou; consequentemente seus filhos nasceram sem títulos. Ana e seu marido tiveram dois filhos: Peter (nascido em 1977) e Zara Phillips (nascida em 1981).[23] Ana e Phillips têm cinco netos. Em 31 de agosto de 1989, Ana e Phillips anunciaram sua intenção de se separar; o casal raramente era visto em público juntos e ambos eram romanticamente ligados a outras pessoas.[19][24][25] Eles compartilhavam a custódia de seus filhos e, inicialmente, anunciaram que "não havia planos de divórcio".[26] No entanto, em 13 de abril de 1992, o Palácio anunciou que Ana havia pedido o divórcio, que foi finalizado dez dias depois.[27][28]

Casamento com Timothy Laurence[editar | editar código-fonte]

Princesa Ana com seu atual marido Timothy Laurence em 2014

Ana conheceu Timothy Laurence, um comandante da Marinha Real, enquanto ele servia no Royal Yacht Britannia. O relacionamento deles se desenvolveu no início de 1989, três anos depois que ele foi nomeado escudeiro da Rainha.[29] Em 1989, a existência de cartas particulares de Laurence para a princesa foi revelada pelo jornal The Sun.[25] O casal se casou em Crathie Kirk, perto do Castelo de Balmoral, na Escócia, em 12 de dezembro de 1992.[30] Aproximadamente 30 convidados foram convidados para a cerimônia de casamento privado.[31] Ao contrário da Igreja da Inglaterra na época, a Igreja da Escócia considerava o casamento uma ordenança da religião e não um sacramento e permitia o novo casamento de pessoas divorciadas sob certas circunstâncias.[32] Em 2002, a Igreja da Inglaterra concordou que pessoas divorciadas poderiam se casar novamente na igreja sob certas circunstâncias, mas o assunto fica a critério do pároco.[33] Ana se tornou a primeira divorciada real a se casar novamente desde a Princesa Vitória Melita de Saxe-Coburgo e Gota, neta da Rainha Vitória.

Para a cerimônia de casamento, Ana vestiu uma jaqueta branca sobre um "vestido recatado até o joelho" e um buquê de flores brancas em seu cabelo.[34] Seu anel de noivado era feito de "uma safira cabochão ladeada por três pequenos diamantes de cada lado".[35] Após a cerimônia de casamento, o casal e os convidados foram para Craigowan Lodge para uma recepção privada.[30] Laurence não recebeu nobreza e o casal alugou um apartamento na Dolphin Square, em Londres. Eles residem entre um apartamento no Palácio de St. James e Gatcombe Park.

Tentativa de sequestro[editar | editar código-fonte]

A princesa foi alvo de uma fracassada e perigosa tentativa de sequestro, em 20 de março de 1974. O incidente ocorreu quando a princesa e seu marido Mark Phillips estavam retornando ao Palácio da Buckingham de um evento de caridade na cidade de Londres, na Pall Mall. A carruagem real que os conduzia foi forçada a parar quando um carro Ford parou à frente deles. O motorista do veículo, Ian Ball (depois julgado como mentalmente instável) saiu segurando uma arma. O inspetor James Beaton pulou da carruagem para desarmar Ball, mas levou um tiro no peito e na cabeça. O chofer Alex Callender tentou desarmá-lo, quando Ball se aproximou da carruagem para raptar a princesa, mas também foi baleado.[36] O jornalista Brian McConnell, que estava próximo, tentou ajudar e levou um tiro no peito.[37] A princesa conseguiu, enquanto isso, sair da carruagem e fugir para o outro lado, e Ron Russell golpeou Ian Ball atrás da cabeça. Michael Hills, que também estava próximo, foi baleado por Ball. Finalmente, o policial Peter Edmonds prendeu Ian.

Ball foi julgado culpado por tentativa de rapto e assassinato e declarado mentalmente instável. A sentença foi mandá-lo para o Hospital de Broadmoor, um dos três maiores hospitais psiquiátricos de segurança máxima do Reino Unido.[38] Ian Ball planejava pedir 2 ou 3 milhões de libras esterlinas em troca da princesa. O incidente fez com que o nível de segurança da família real britânica aumentasse. O inspetor James Beaton recebeu a George Cross (Cruz de Jorge), a mais alta condecoração para um civil do Reino Unido e da Commonwealth. Alex Callender, Brian McConnell, Ron Russell e Michael Hills receberam a Queen's Gallantry Medal (Medalha de Galanteria da Rainha), a condecoração de terceiro nível para um civil britânico.

Atividades oficiais e obras de caridade[editar | editar código-fonte]

Anne visitando uma escola britânica na Holanda em 1984

Ana assume uma série de deveres e compromissos em nome de sua mãe, em apoio ao seu papel como soberana dos reinos da Commonwealth. Kevin S. MacLeod, o secretário canadense da Rainha, disse sobre Ana em 2014: "Seu credo é: 'Mantenha-me ocupada. Estou aqui para trabalhar. Estou aqui para fazer coisas boas. Estou aqui para conhecer o maior número de pessoas possível'."[39] Foi revelado em dezembro de 2017 que a Princesa Real havia assumido os compromissos mais oficiais daquele ano de toda a família real, incluindo sua mãe.[40][41] Entre suas visitas reais, a princesa viajou pela Noruega, Jamaica, Alemanha, Áustria, Nova Zelândia e Austrália.

Seu primeiro compromisso público foi na abertura de um centro educacional e de treinamento em Shropshire em 1969. Ana viaja para o exterior em nome do Reino Unido até três vezes por ano. Ela começou a realizar visitas ao exterior ao sair da escola secundária, e acompanhou seus pais em uma visita de Estado à Áustria no mesmo ano.[42] Sua primeira viagem à Austrália foi com seus pais em 1970, desde então ela voltou em várias ocasiões para assumir compromissos oficiais como coronel-chefe de um regimento australiano, ou para participar de memoriais e serviços, como o National Memorial Service for vítimas dos incêndios florestais do Sábado Negro em Melbourne, Austrália, em 22 de fevereiro de 2009.[43] Em 1990 ela foi o primeiro membro da família real a fazer uma visita oficial à União Soviética quando foi lá como convidada do presidente Mikhail Gorbachev e seu governo.[42][44]

A Princesa Real conhecendo o primeiro-ministro japonês Shinzō Abe e sua esposa Akie Abe em 2014

Ana está envolvida com mais de 200 instituições de caridade e organizações a título oficial. Ela trabalha extensivamente para Save the Children, servindo como presidente de 1970 a 2017, e é patrona há mais de 50 anos.[45] Ana visitou os projetos da organização em Bangladesh, Serra Leoa, África do Sul, Moçambique, Etiópia e Bósnia e Herzegovina.[45] Como resultado de seu trabalho, ela foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz em 1990 por Kenneth Kaunda, Presidente da Zâmbia.[45] Ela iniciou o The Princess Royal Trust for Carers em 1991.[46] Ana é a patrona da Transaid, uma instituição de caridade fundada pela Save the Children e pelo Chartered Institute of Logistics and Transport que visa fornecer transporte seguro e sustentável nos países em desenvolvimento.[47] Ela também é a Patrona Real da WISE, uma organização que incentiva mulheres jovens a seguir carreiras em ciências, engenharia e construção.[48][49] Seu extenso trabalho para a St. John Ambulance como Comandante-em-Chefe da St. John Ambulance Cadets tem ajudado a desenvolver muitos jovens, já que ela participa anualmente da Recepção do Prêmio Grande Prior.[50] Ela é Patrona de Primeiros Socorros de St. Andrew. Ela é uma representante britânica no Comitê Olímpico Internacional como administradora,[51] e foi membro do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres.[52] Ela também atua como presidente da Associação Olímpica Britânica. Ela foi presidente do BAFTA de 1973 a 2001.[53] Em 1985 ela se tornou presidente da Associação de Equitação para Deficientes após servir como patrona por quatorze anos.[54] Em 1986 ela foi nomeada Mestre da Worshipful Company of Carmen.[55] Ela mantém um relacionamento com o esporte estudantil e é a patrona das Universidades e Faculdades Britânicas de Esportes.[56] Ela é patrona da Royal National Children's Foundation desde 2002[57][58] e do museu do patrimônio industrial, Aerospace Bristol, desde 2016.[59]

Após a aposentadoria da Rainha Mãe em 1981, Ana foi eleita pelos graduados da Universidade de Londres como Chanceler e está no cargo desde 1981.[60] Ao longo de maio de 1996, Ana serviu como Alta Comissária de Sua Majestade na Assembleia Geral da Igreja da Escócia, e ocupou o cargo novamente em 2017.[61] Em 2007, ela foi nomeada pela Rainha como Grã-Mestre da Real Ordem Vitoriana, uma posição que sua avó também ocupou.[62] Ela é uma Royal Fellow da Royal Society e da Academia de Ciências Médicas.[63] Royal Fellows são membros da Monarquia que são recomendados e eleitos pelo Conselho da Sociedade. A Royal Society tem apenas quatro Royal Fellows, incluindo a própria Princesa Real, o Príncipe de Gales, o Duque de Kent e o Duque de Cambridge. Ela é a primeira Royal Fellow da Academia de Ciências Médicas.[64]

A Princesa Real falando na 100ª sessão do Comitê de Segurança Marítima em 2018

Ela foi eleita Chanceler da Universidade de Edimburgo a partir de 31 de março de 2011, sucedendo seu pai, que deixou o cargo em 2010.[65] Da mesma forma, ela aceitou em 2011 os cargos de Presidente da City and Guilds of London Institute,[66] Master of the Corporation of Trinity House e Presidente da Royal Society of Arts, também na sucessão de seu pai. Ela também é patrona do Royal College of Occupational Therapists, Royal (Dick) School of Veterinary Studies da Universidade de Edimburgo, Royal Holloway, Universidade de Londres, International Students House, Londres, Acid Survivors Trust International, Townswomen's Guilds and Citizens Advice.

Ela representou a Grã-Bretanha no Comitê Olímpico Internacional nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi em 2014 na Rússia.[67] Em agosto de 2016, ela retornou ao país para visitar a cidade russa de Arkhangelsk para o 75º aniversário da Operação Dervish, que foi um dos primeiros comboios do Ártico da Segunda Guerra Mundial.[68] Em setembro de 2016, a princesa sofreu de infecção no peito e foi obrigada a cancelar compromissos oficiais.[69] No final de outubro de 2016, ela visitou o estado malaio de Sarawak para uma viagem de estudo de dois dias.[70] Em 2017, ela se tornou Primeira Guardiã da Worshipful Company of Fishmongers e Governadora da Gresham's School.[71]

Imagem pública e estilo[editar | editar código-fonte]

Princesa Ana em junho de 2013

Ana foi chamada de "âncora mais confiável" da família real e um "farol do bom e antiquado serviço público", tendo realizado mais de 20.000 compromissos desde seu aniversário de 18 anos.[72] A mídia muitas vezes chamava a jovem Anne de "arredondada" e "arrogante", dando-lhe o apelido de "sua grosseria real".[72] A Vanity Fair escreveu que Ana "tem a reputação de ter herdado a famosa língua afiada de seu pai e a sagacidade vespa".[73] Ana continua sendo uma das realezas mais populares da Grã-Bretanha.[74][75] A editora do The Telegraph, Camilla Tominey, a chamou de "tesouro nacional", escrevendo que ela é "aclamada como uma das grandes inglesas excêntricas", cuja ética de trabalho contribui para sua consideração.[72] Alegadamente, Ana "insiste em fazer sua própria maquiagem e cabelo" e se dirige a compromissos, tendo se declarado culpada de duas multas por excesso de velocidade por atraso.[72][76] Em seus aniversários de 60 e 70 anos, a BBC e a Vanity Fair perguntaram se ela se aposentaria, e ela negou nas duas vezes, citando o exemplo de seus pais, bem como seu compromisso com seus deveres reais.[72]

O editor da Vogue britânica Edward Enninful disse que "a princesa Ana é um verdadeiro ícone de estilo e era tudo sobre moda sustentável antes que o resto de nós realmente soubesse o que isso significava".[72] Seu estilo é conhecido por sua atemporalidade; ela confia quase exclusivamente em marcas de moda britânicas, com tweed e ternos sob medida como suas marcas registradas.[72] Ela é conhecida por usar "padrões arrojados e cores vibrantes".[77] Nas décadas de 1970 e 1980, ela era frequentemente fotografada usando tendências como mangas bufantes, cardigãs, padrões florais brilhantes e listras multicoloridas.[77][78] Ana também é uma das poucas mulheres da família real a usar uniforme militar.[77] De acordo com o The Guardian, ela "raramente é vista sem um broche" durante os eventos reais.[78] Seus estilos de chapelaria incluem bonés de jóquei e chapéus de várias cores e padrões ousados. Ana apareceu em três capas da Vogue britânica; depois de aparecer pela primeira vez na edição de setembro de 1971 aos 21 anos, ela também apareceu nas edições de maio e novembro de 1973, comemorando seu noivado com Mark Phillips.[79][80][81] Ela foi destaque na reportagem de capa da edição de abril de 2020 da Vanity Fair.[82]

Títulos, estilos e honras[editar | editar código-fonte]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

Monograma da Princesa Ana
  • 15 de agosto de 1950 – 6 de fevereiro de 1952: Sua Alteza Real, a Princesa Ana de Edimburgo
  • 6 de fevereiro de 1952 – 14 de novembro 1973: Sua Alteza Real, a Princesa Ana
  • 14 de novembro de 1973 – 18 de abril de 1992: Sua Alteza Real, a Princesa Ana, Sra. Mark Phillips
  • 13 de junho de 1987 – presente: Sua Alteza Real, a Princesa Real[83]
Brasão de armas de Ana, Princesa Real

Honras[editar | editar código-fonte]

Estrangeiro[editar | editar código-fonte]

 Áustria

 Finlândia

  • Order of the White Rose Ribbon bar.svg 1969: Comandante Grã-Cruz da Ordem da Rosa Branca da Finlândia

 Japão

Flag of Iran before 1979 Revolution (Pahlavi Dynasty).svg Irã

  • 25th Centennial Anniversary Medal Ribbon Bar - Imperial Iran.svg 1971: Medalha Comemorativa do 2500º Aniversário da fundação do Império Persa[91][92]

 Países Baixos

Flag of Luxembourg.svg Luxemburgo

Flag of SFR Yugoslavia.png Iugoslávia

  • Order of the Yugoslav Flag 1st Class RIB.png 1972: Membro 1ª Classe da Ordem da Bandeira Iugoslava

Flag of Spain.svg Espanha

Flag of Madagascar (2004 World Factbook).gif Madagascar

  • MDG National Order - Grand Cross 2nd Class BAR.png 2017: Grã-Cruz 2ª Classe da Ordem Nacional de Madagascar

Flag of Chile.svg Chile

Patentes Militares[editar | editar código-fonte]

Tal como acontece com outros membros da realeza sênior, a Princesa Ana tem vários compromissos nas forças armadas dos reinos da Commonwealth:

 Austrália

  •  Austrália 1977– : Coronel-Chefe do Royal Australian Corps of Signals[94]
  •  Austrália 2011– : Coronel-Chefe do Royal Australian Corps of Transport[95]

 Canadá

  • Canadá 1972– : Coronel-Chefe dos 8º Hussardos Canadenses (da Princesa Luísa)[96]
  • Canadá 1977– : Coronel-chefe dos Grey e Simcoe Foresters
  • Canadá 1977– : Coronel-Chefe do Ramo de Comunicações e Eletrônica
  • Canadá 1982– : Coronel-Chefe do Royal Regina Rifles[97]
  • Canadá 1987– : Coronel-Chefe do Regimento Real de Terra Nova
  • Canadá 2003– : Coronel-Chefe do Royal Canadian Medical Service
  • Canadá 2014– : Coronel-Chefe dos Royal Canadian Hussars[98]
  • Naval Ensign of Canada.svg 2015– : Comodora-Chefe da Marinha Real Canadense (Frota do Pacífico)[99]
  • Canadá 2017– : Comissária Adjunta da Real Polícia Montada do Canadá[100]

Flag of New Zealand.svg Nova Zelândia

  • Flag of New Zealand.svg 1977– : Coronel-Chefe do Corpo de Enfermagem do Exército Real da Nova Zelândia[94]
  • Flag of New Zealand.svg 1977– : Coronel-Chefe do Royal New Zealand Corps of Signals[94]

 Reino Unido

  • Reino Unido 1970– : Coronel-Chefe do Worcestershire and Sherwood Foresters Regiment
  • Reino Unido 1977– : Coronel-Chefe do Royal Corps of Signals
  • Reino Unido 1981– : Comandante-Chefe do First Aid Nursing Yeomanry (Corpo de Voluntários da Princesa Real)[101]
  • Reino Unido 1983–2006: Coronel-Chefe dos Royal Scots (O Regimento Real)[94]
  • Reino Unido 1989– : Coronel Honorário Real da Universidade de Londres OTC[94]
  • Reino Unido 1992– : Coronel-Chefe dos Hussardos Reais do Rei
  • Reino Unido 1992– : Coronel-Chefe do Royal Logistic Corps
  • Reino Unido 1993– : Coronel-Chefe Afiliado dos Sinais Gurkha da Rainha[94]
  • Reino Unido 1993– : Coronel-chefe afiliado do Regimento Logístico Gurkha da Rainha[94]
  • Reino Unido 1998– : Coronel dos Blues and Royals[94]
  • Reino Unido 2003– : Coronel-Chefe do Corpo Veterinário do Exército Real
  • Reino Unido 2006– : Coronel Real dos Royal Scots Borderers, 1º Batalhão Regimento Real da Escócia[94]
  • Reino Unido 2006– : Coronel Real do 52º Lowland, 6º Batalhão Regimento Real da Escócia[94]
  • Reino Unido 1977–2011: Comodora Aérea Honorário da RAF Lyneham[94]
  • Reino Unido 1993– : Comodora Honorária do Ar da University of London Air Squadron[94]
  • Reino Unido 2011– : Comodora Honorária do Ar da RAF Brize Norton
  • Reino Unido 1974–1993: Comandante Chefe do Serviço Naval Real Feminino[102]
  • Reino Unido 1993– : Comandante Chefe das Mulheres na Marinha Real[103]
  • Reino Unido 2006– : Comodora-chefe do HMNB Portsmouth[104]
  • Reino Unido 2021– : Almirante do Corpo de Cadetes do Mar[105]
  • Reino Unido 1988– : Senhora Patrocinadora do HMS Talent (S92)[106]</ref>
  • Reino Unido 2001– : Senhora Patrocinadora do HMS Albion (L14)[106][107]

Fileiras militares[editar | editar código-fonte]

Descendência[editar | editar código-fonte]

Nome Nascimento Casamento Seus filhos
Data Cônjuge
Peter Phillips 15 de novembro de 1977 17 de maio de 2008 Autumn Kelly Savannah Phillips (n. 2010)
Isla Phillips (n. 2012)
Zara Tindall 15 de maio de 1981 30 de julho de 2011 Mike Tindall Mia Tindall (n. 2014)
Lena Tindall (n. 2018)
Lucas Tindall (n. 2021)

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Princess Anne's colourful royal career» (em inglês). BBC. 21 de novembro de 2002. Consultado em 11 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2008 
  2. «Senior European Championship Results». British Eventing Governing Body (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2012. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2012 
  3. a b «The Princess Royal». The Royal Family. 2 de outubro de 2015 
  4. Llewely, Abbie (29 de setembro de 2020). «Boris Johnson's frank assessment of Princess Anne exposed». Express. Consultado em 7 de outubro de 2021 
  5. a b «1950: Princess gives birth to second child» (em inglês). BBC. 15 de agosto de 1950. Consultado em 29 de maio de 2018. Cópia arquivada em 20 de agosto de 2018 
  6. «The Christening of Princess Anne». Royal Collection Trust. Consultado em 17 de dezembro de 2021 
  7. «HRH The Princess Royal> Early Life and Education» (em inglês). Buckingham Palace. Consultado em 20 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 22 de outubro de 2008 
  8. «Royal Support for the Scouting and Guiding Movements» (em inglês). Official Website of the British Monarchy. Consultado em 25 de julho de 2008. Cópia arquivada em 24 de janeiro de 2009 
  9. a b «Princess Anne comforts Andrew Parker Bowles at funeral of his wife Rosemary». Hello! (em inglês). 19 de janeiro de 2010. Consultado em 23 de maio de 2010. Cópia arquivada em 6 de junho de 2011. Andrew is also a close friend of the Princess Anne, and dated her in 1970. 
  10. «The Princess Royal». The Royal Family. 2 de outubro de 2015. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  11. MacKelden, Amy (15 de novembro de 2020). «The Crown Doesn't Do Justice to Princess Anne's Real-Life Relationships». Harper's Bazaar. Consultado em 21 de setembro de 2021 
  12. Corrigan, Peter (14 de dezembro de 2003). «Bravo for Jonny but Beeb need new act». The Independent. Consultado em 24 de fevereiro de 2009 
  13. a b c «Inside Princess Anne's Lifelong Love Affair with Horses» (em inglês). The Telegraph. Consultado em 9 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 10 de janeiro de 2022 
  14. a b «Princess Anne's Groundbreaking Equestrian Career». Biography. Consultado em 9 de janeiro de 2021 
  15. a b «This day in sport: Princess Anne». The Times (em inglês). 5 de novembro de 2006. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 15 de março de 2018 
  16. «The Princess Royal and the Olympics» (em inglês). The Royal Family. 29 de julho de 2016. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 15 de março de 2018 
  17. «A family affair: The royal visit that wound up at the 1976 Olympics». CBC Radio Canada. 12 de julho de 2019. Consultado em 5 de outubro de 2021 
  18. «Did Princess Anne Really Compete In The Olympics?». Grazia Daily. 16 de novembro de 2020. Consultado em 5 de outubro de 2021 
  19. a b Longworth, R. C. (1 de setembro de 1989). «Princess Anne To Separate From Husband». Chicago Tribune (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2018. Cópia arquivada em 14 de maio de 2018 
  20. «Princess Anne's wedding». BBC News (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2017. Cópia arquivada em 5 de junho de 2017 
  21. «Iconic weddings: Princess Anne and Mark Phillips» (em inglês). Hello!. 27 de julho de 2011. Consultado em 14 de maio de 2018. Cópia arquivada em 15 de maio de 2018 
  22. «Princess Anne's Marriage – Events of 1973». UPI.com (em inglês). 1973. Consultado em 31 de março de 2016. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2009 
  23. «The Princess Royal». royal.uk. 2 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 14 de julho de 2017 
  24. «But No Divorce Is Planned : Princess Anne, Husband Split». Los Angeles Times (em inglês). 31 de agosto de 1989. Consultado em 14 de maio de 2018. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2018 
  25. a b Kaufman, Joanne; Cooper, Jonathan (24 de abril de 1989). «A Crisis Rocks a Royal Marriage». People (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2018. Cópia arquivada em 7 de março de 2018 
  26. «1989: Royal couple to separate» (em inglês). BBC. 31 de agosto de 1989. Consultado em 14 de maio de 2018. Cópia arquivada em 20 de agosto de 2018 
  27. «Princess Anne's Divorce Final». Deseret News. 23 de abril de 1992. Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  28. Brozan, Nadine (24 de abril de 1992). «Chronicle». The New York Times 
  29. «In Quiet Scottish Ceremony, Anne Marries Naval Officer». The New York Times (em inglês). 13 de dezembro de 1992. Consultado em 13 de maio de 2018. Cópia arquivada em 14 de maio de 2018 
  30. a b «1992: Princess Royal remarries». BBC (em inglês). Consultado em 17 de maio de 2018. Cópia arquivada em 16 de maio de 2018 
  31. Tuohy, William (13 de dezembro de 1992). «Britain's Princess Anne Remarries : Wedding: Scottish ceremony brings a tiny bit of joy to a year that saw more than one royal marriage fail.». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2018. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2018 
  32. «Worship on the Web» (PDF). Church of Scotland (em inglês). Consultado em 1 de abril de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 4 de abril de 2016 
  33. «Divorce». The Church of England. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2011 
  34. «Royal wedding dresses through the years». The Daily Telegraph (em inglês). 7 de agosto de 2015. Consultado em 13 de maio de 2018. Cópia arquivada em 14 de maio de 2018 
  35. Chang, Mahalia (27 de novembro de 2017). «A Very Thorough History Of British Royal Engagement Rings». Harper's Bazaar Australia (em inglês). Consultado em 15 de maio de 2018. Cópia arquivada em 16 de maio de 2018 
  36. «On This Day > 20 March > 1974: Kidnap attempt on Princess Anne». BBC (em inglês). 20 de março de 1974. Consultado em 22 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 17 de dezembro de 2008 
  37. Roy Greenslade (17 de julho de 2004). «Obituary: Brian McConnell». The Guardian (em inglês). Reino Unido. Consultado em 30 de abril de 2011. Cópia arquivada em 5 de novembro de 2013 
  38. Proctor, Charlie (20 de março de 2019). «'Not bloody likely' – The attempted kidnapping of Princess Anne». royalcentral (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2020 
  39. Davison, Janet (7 de novembro de 2014). «Princess Anne's Ottawa tour will honour 'everyday heroes'» (em inglês). Canadian Broadcasting Corporation. Consultado em 23 de novembro de 2014. Cópia arquivada em 4 de setembro de 2015 
  40. Bannerman, Lucy (29 de dezembro de 2017). «Princess Anne crowned busiest royal». The Times (em inglês). ISSN 0140-0460. Consultado em 5 de abril de 2018. Cópia arquivada em 5 de abril de 2018 
  41. «Princess Anne Was the Hardest Working Member of the Royal Family This Year» (em inglês). Town & Country. 29 de dezembro de 2017. Consultado em 5 de abril de 2018. Cópia arquivada em 5 de abril de 2018 
  42. a b «HRH The Princess Royal> Public Role» (em inglês). Buckingham Palace. Consultado em 22 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 22 de outubro de 2008 
  43. «Bushfire memorial echoes grief and hope» (em inglês). 9News. 22 de fevereiro de 2009. Consultado em 22 de fevereiro de 2009. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2009 
  44. «Princess Anne visits Soviets». UPI (em inglês). Consultado em 28 de junho de 2019. Cópia arquivada em 28 de junho de 2019 
  45. a b c «Our Patron Princess Anne» (em inglês). Save the Children UK. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 15 de março de 2018 
  46. «The Princess Royal marks 25 years of the Carers Trust» (em inglês). The Royal Family. 10 de fevereiro de 2016. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 15 de março de 2018 
  47. «Who we are» (em inglês). Transaid. Consultado em 26 de maio de 2018. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2018 
  48. «The Princess Royal visits St John Ambulance's new HQ» (em inglês). BBC. 1 de abril de 2010. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 15 de março de 2018 
  49. Pilmoor, Ellie (23 de janeiro de 2018). «St John Ambulance volunteer from Gosport meets royal» (em inglês). Portsmouth News. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 15 de março de 2018 
  50. «Trustees and Senior Staff» (em inglês). St Andrew's First Aid. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2018 
  51. «HRH the Princess Royal» (em inglês). Olympic. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2018 
  52. «LOCOG Board». London2012.com. Cópia arquivada em 29 de novembro de 2011 
  53. «President and Vice Presidents» (em inglês). BAFTA. 30 de abril de 2013. Consultado em 15 de março de 2018. Cópia arquivada em 16 de março de 2018. HRH Princess Anne, The Princess Royal, was named president from 1973, and remained in the post until 2000. 
  54. Calfee, Joel (6 de novembro de 2021). «The Royal Family Just Shared Photos of Princess Anne Over the Last 5 Decades». PureWow. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  55. «Worshipful Company of Carmen :: Fellowship :: Tradition and Custom». www.thecarmen.co.uk (em inglês). Consultado em 3 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 3 de dezembro de 2019 
  56. «Court Circular February 17». The Times (em inglês). 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 15 de março de 2018. Cópia arquivada em 16 de março de 2018 
  57. Bassom, David (18 de maio de 2017). «Our Royal Patron attends merger event» (em inglês). Royal National Children's Foundation. Consultado em 15 de março de 2018. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2018 
  58. «HRH Princess Anne» (em inglês). Boarding School Partnerships. Consultado em 15 de março de 2018. Cópia arquivada em 16 de março de 2018 
  59. «Royal Patron». Aerospace Bristol. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2017 
  60. «Chancellor» (em inglês). University of London. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 15 de março de 2018 
  61. «HRH the Princess Royal appointed High Commissioner to the General Assembly 2017» (em inglês). The Church of Scotland. 8 de dezembro de 2016. Consultado em 14 de março de 2018. Cópia arquivada em 15 de março de 2018 
  62. «Her Royal Highness The Princess Royal Princess Anne KG KT GCVO GCStJ QSO GCL FRS Royal Fellow». Londres: Royal Society. Cópia arquivada em 17 de novembro de 2015 
  63. «Royal Fellows» (em inglês). The Academy of Medical Sciences. Consultado em 15 de março de 2018. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2018 
  64. «Royal Fellows of the Royal Society». The Royal Society (em inglês). Consultado em 25 de abril de 2014. Cópia arquivada em 24 de abril de 2014 
  65. «New Chancellor Elected». ed.ac.uk (em inglês). Consultado em 25 de março de 2016. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2015 
  66. «Princess Royal presents awards at Buckingham Palace» (em inglês). City Guilds. 29 de abril de 2014. Consultado em 15 de março de 2018. Cópia arquivada em 16 de março de 2018 
  67. «The Princess Royal heads to Sochi Games» (em inglês). 3 de fevereiro de 2014. Consultado em 15 de abril de 2014. Cópia arquivada em 16 de abril de 2014 
  68. «Britain's Princess Anne To Visit Arkhangelsk For WWII Commemoration». www.rferl.org (em inglês). Consultado em 28 de junho de 2019. Cópia arquivada em 28 de junho de 2019 
  69. «Princess Anne has tests in hospital after feeling unwell» (em inglês). BBC. 9 de setembro de 2016. Consultado em 15 de março de 2018. Cópia arquivada em 1 de maio de 2018 
  70. «Britain's Princess Anne arrives for two-day study tour» (em inglês). The Borneo Post. 30 de outubro de 2016. Consultado em 17 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 17 de novembro de 2016 
  71. «Princess Anne Visits Holt As She is Announced as Gresham's Governor» (em inglês). 4 de julho de 2017. Consultado em 5 de julho de 2017. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2017 
  72. a b c d e f g «How Princess Anne became the shining light of the beleaguered monarchy» (em inglês). The Telegraph. Consultado em 25 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 10 de janeiro de 2022 
  73. Nicholl, Katie (15 de abril de 2020). «Princess Anne Opens Up About Her Lifetime as a Royal». Vanity Fair. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  74. «Princess Anne». YouGov. Consultado em 25 de novembro de 2020 
  75. «On her 70th birthday, this is why Princess Anne is still as popular as ever». Metro. 15 de agosto de 2020. Consultado em 25 de novembro de 2020 
  76. «Princess Anne fined for speeding». BBC. 13 de março de 2001. Consultado em 28 de agosto de 2021 
  77. a b c Coleman, Nancy (18 de novembro de 2019). «'The Crown': Who Is Princess Anne?». The New York Times. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  78. a b Seamons, Helena (15 de agosto de 2020). «Princess Anne at 70: a life of style – in pictures». The Guardian. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  79. «Royal COVERGIRLS: All the Royals who have starred on Vogue cover - and why Meghan WON'T». Express. 14 de julho de 2019. Consultado em 20 de julho de 2021 
  80. Maitland, Hayley (2 de julho de 2020). «Princess Anne Will Speak About Her Vogue Covers (And Near Kidnapping) In A Landmark Documentary». British Vogue. Consultado em 20 de julho de 2021 
  81. Berrington, Kate (11 de outubro de 2018). «Royal Portraits In Vogue». British Vogue. Consultado em 20 de julho de 2021 
  82. Nicholl, Katie (15 de abril de 2020). «Princess Anne Opens Up About Her Lifetime as a Royal». Vanity Fair. Consultado em 20 de julho de 2021 
  83. Millar, Frederica (15 de janeiro de 2021). «Princess Anne titles: The Princess Royal's honours and military titles in full». Daily Express (em inglês). Consultado em 1 de março de 2022 
  84. The London Gazette
  85. a b «Orders of Chivalry» (em inglês). St George's Chapel. Consultado em 31 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 19 de fevereiro de 2010 
  86. «The Princess Royal: Honours» (em inglês). Royal Household. Consultado em 19 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 11 de janeiro de 2012 
  87. «New appointments to the Order of the Thistle». The Royal Family (em inglês). 30 de novembro de 2003. Consultado em 23 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2017 
  88. Jackson, Michael (2007). Honours of the Crown (em inglês). [S.l.]: The Monarchist League of Canada. Cópia arquivada em 21 de dezembro de 2007 
  89. «Papua New Guinea visit» (em inglês). 2005. Cópia arquivada em 24 de dezembro de 2007 
  90. «Reply to a parliamentary question» (PDF) (em inglês). Consultado em 19 de outubro de 2012. Cópia arquivada (PDF) em 28 de maio de 2016 
  91. «Grand State Banquet» (em inglês). Consultado em 30 de março de 2016. Cópia arquivada em 2 de março de 2004 
  92. «Sosyal İçerik Platformu». Sosyola (em inglês). Cópia arquivada em 14 de outubro de 2014 
  93. «El Rey reconoce que Isabel II ha hecho posible la visita de Estado a Reino Unido». lavanguardia.com (em espanhol). La Vanguardia. Consultado em 19 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2017 
  94. a b c d e f g h i j k l «Royal Military roles» (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 15 de maio de 2006 
  95. [hhtp://www.ract.org.au/history/colonel-chief «History of Royal Australian Corps of Transport»]. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  96. «8th Canadian Hussars Association». Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  97. «Normandy: D-Day June 6 – Regina» (em inglês). Veterans Affairs Canada. 5 de junho de 2004. Consultado em 30 de abril de 2011. Cópia arquivada em 26 de janeiro de 2009 
  98. «Princess Anne's Ottawa tour will honour 'everyday heroes'». CBC News (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2014. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2014 
  99. Government of Canada (3 de maio de 2015). «Minister Kenney announces Royal appointments to the Royal Canadian Navy» (em inglês). Queen's Printer for Canada. Consultado em 4 de maio de 2015. Cópia arquivada em 5 de maio de 2015 
  100. «Her Royal Highness The Princess Royal Becomes Honorary RCMP Deputy Commissioner». Gateway Gazette. Consultado em 26 de maio de 2021 
  101. «History | FANY (PRVC) – Princess Royal's Volunteer Corps». FANY (PRVC) – Princess Royal's Volunteer Corps (em inglês). Consultado em 22 de maio de 2017. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2017 
  102. «Royal Military roles». Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  103. «HRH Princess Royal Celebrates the WRNS at Service of Thanksgiving». royalnavy.mod.uk. Royal Navy. Consultado em 1 de dezembro de 2020 
  104. «New Royal Navy Patrons Revealed by Queen» (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 10 de agosto de 2006 
  105. «New Admiral of the Sea Cadets appointed». Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  106. a b Ilse, Jess (30 de junho de 2021). «What is a royal ship sponsor?». Royal Central. Consultado em 30 de junho de 2021 
  107. «Princess Royal visits HMS Albion» (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  108. a b «Princess Anne gets military promotion as she celebrates 70th birthday». BBC News (em inglês). Consultado em 17 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2020 
  109. «RAF Senior Appointments 15 August 2020». raf.mod.uk. Royal Air Force. 15 de agosto de 2020. Consultado em 22 de agosto de 2020. Her Royal Highness The Princess Royal KG KT GCVO to be promoted Air Chief Marshal with effect from 15 August 2020. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Ana, Princesa Real

Precedido por
Luísa Windsor
Linha de sucessão ao trono britânico
16.º
Sucedido por
Peter Phillips