Clarence Seedorf

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Clarence Seedorf
Clarence Seedorf
Seedorf em 2021
Informações pessoais
Nome completo Clarence Clyde Seedorf
Data de nasc. 1 de abril de 1976 (46 anos)
Local de nasc. Paramaribo, Suriname
Nacionalidade neerlandês
surinamês
Altura 1,76 m
ambidestro
Apelido CS10
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição meio-campista
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1992–1995
1995–1996
1996–1999
1999–2002
2002–2012
2012–2013
Ajax
Sampdoria
Real Madrid
Internazionale
Milan
Botafogo
00090 000(11)
00034 0000(4)
00159 000(20)
00093 000(14)
00432 000(62)
00081 000(24)
Seleção nacional
1996–2009 Países Baixos 00087 000(13)
Times/clubes que treinou
2014
2016
2018
2018–2019
Milan
Shenzhen
Deportivo La Coruña
Camarões
Última atualização: 15 de junho de 2021

Clarence Clyde Seedorf (Paramaribo, 1 de abril de 1976) é um ex-futebolista surinamês naturalizado neerlandês que atuava como meio-campista.

Campeão da Liga dos Campeões da UEFA quatro vezes (atuou na fase de grupos da temporada 1999–00 pelo Real Madrid, mas foi transferido antes do mata-mata[1][2]), Seedorf teve passagens brilhantes em vários times. É conhecido por ser o único jogador no mundo a vencer a competição por três equipes diferentes: Ajax, Real Madrid e Milan.[3]

Após brilhar na Europa, veio jogar no Brasil e teve grande passagem pelo Botafogo, clube pela qual se aposentou no final de 2013.[4] Logo depois chegou a trabalhar como treinador, tendo comandado o Milan, o Shenzhen, da China, o Deportivo La Coruña e a Seleção Camaronesa.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Ajax[editar | editar código-fonte]

Em 1992, no dia 29 de novembro, ele se tornou o jogador mais jovem a vestir a camisa do time profissional do Ajax, numa partida contra o Groningen. Neste dia, Seedorf começou a fazer história no Ajax que era base da Seleção Neerlandesa, sendo campeão e eleito craque do time chamando atenção do mundo inteiro pela sua pouca idade, compensada com muito potencial e maturidade em campo. Conquistou diversos títulos pela equipe, com destaque para a Liga dos Campeões de 1994–95.[5]

Sampdoria[editar | editar código-fonte]

Em 1995 Seedorf foi contratado pela a Sampdoria, onde ficou apenas por uma temporada. Ele não conquistou títulos, mas segundo a mídia esportiva, foi suficiente para chamar a atenção do Real Madrid por ser o principal destaque da equipe italiana nas competições.[6]

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter chamado atenção de clubes da Premier League[7], Seedorf foi para o Real Madrid em 1996, onde, na sua primeira temporada, ajudou a equipe a reconquistar o título da La Liga (Campeonato Espanhol). Na sua segunda temporada, 1997–98, desempenhou um papel importante no sucesso da equipe na Liga dos Campeões da UEFA, ajudando o clube merengue a conseguir uma vitória por 1 a 0 sobre a Juventus na final, o segundo título da competição de sua carreira.[8] Ainda pelo Real, Seedorf marcou um golaço de fora da área contra o Atlético de Madrid, num chute de cerca de 45 metros de distância.[9][10][11]

A magia de Seedorf no Real Madrid tornou-se menos proeminente após a chegada do treinador neerlandês Guus Hiddink na temporada 1998–99 e terminou quando ele foi transferido de volta para a Itália durante a temporada 1999–00, desta vez para a Internazionale, por uma taxa de cerca de 44 milhões de liras italianas (cerca de 23 milhões de euros).[12][13]

Foi no Real que ele revelou uma maneira diferente de atuar pela faixa direita do gramado. Marcando, armando e chutando com a mesma precisão, confundia a cabeças dos comentaristas, que não sabiam se ele era lateral, volante, meio-campista ou atacante.

Internazionale[editar | editar código-fonte]

Apesar de levar a Internazionale para a final da Copa da Itália em 2000, um jogo em que a equipe acabou derrotada, Seedorf não pôde ajudar a trazer nenhum troféu importante para o clube.[14] No entanto, ele é lembrado por muitos torcedores da Inter por seus dois gols contra a Juventus no dia 9 de março de 2002, num empate em 2 a 2, ambos em excelentes chutes de longa distância.[15]

Milan[editar | editar código-fonte]

Seedorf em ação pelo Milan contra o Arsenal

Depois de dois anos na Internazionale, Seedorf passou para os rivais da cidade em 2002, envolvido em uma negociação com o lateral-esquerdo Francesco Coco.[16] Em Milão, o neerlandês formou uma parceria formidável no meio-campo com Gennaro Gattuso e Andrea Pirlo, que começou desde a temporada 2002–03. Sob a orientação do técnico Carlo Ancelotti, seu papel era o de apoiar um meia-atacante, fosse ele Rivaldo, Rui Costa, Kaká ou posteriormente Ronaldinho.

Ele conquistou a Copa da Itália com o Milan em 2003, o primeiro título da competição conquistado pela equipe em 26 anos. Na mesma temporada, Seedorf ganhou sua terceira medalha na Liga dos Campeões, para se tornar o primeiro jogador a conquistar a Champions com três clubes diferentes.[17] O Milan bateu a Juventus na disputa por pênaltis, após um empate em 0 a 0, apesar de Seedorf ter perdido sua penalidade.[18]

Na temporada seguinte, 2003–04, Seedorf desempenhou um importante papel na conquista da Serie A. Foi também o quarto título nacional de sua carreira, depois ter conquistado dois títulos neerlandeses com o Ajax e um com o Real Madrid.

Seedorf teve um papel importante na campanha do Milan rumo à final da Liga dos Campeões de 2004–05.[19] Ele começou jogando a grande final contra o Liverpool, realizada em Istambul, que viria a se tornar um jogo histórico. O Milan, após terminar o primeiro tempo com uma vantagem de 3 a 0 no placar, acabou por ceder o empate no segundo tempo, perdendo o título na disputa por pênaltis.[20] Seedorf não cobrou nenhum desses pênaltis.[21] O Milan também terminou em segundo lugar na Serie A de 2004–05, perdendo o Scudetto para a Juventus.

Clarence Seedorf, pelo Milan, disputando bola com Eric Addo, do PSV, em um amistoso no dia 3 de agosto de 2007 no Lokomotiv Stadium, em Moscou

A Calciopoli, como ficou conhecido o escândalo da Serie A de 2005–06, enfraqueceu o clube, mas foram autorizados a continuar na Liga dos Campeões da temporada seguinte, o que levou seus melhores jogadores de permanecer no clube.[22]

Ele jogou o seu centésimo jogo na Liga dos Campeões no dia 4 de dezembro de 2006, numa partida contra o Celtic. O meio-campo do Milan continuou em grande fase nessa temporada, com Seedorf e Kaká ajudando a equipe a se classificar na Liga dos Campeões contra Bayern de Munique e Manchester United.[23] O clube rossonero chegou na final mais uma vez contra o Liverpool, vencendo-os por 2 a 1, em Atenas.[24] Seedorf conquistou o torneio pela quarta vez, e, ao final da competição, foi eleito o melhor meio-campista da Liga dos Campeões. Em 2007 fez parte do elenco que conquistou a Copa do Mundo de Clubes da FIFA, realizada no Japão.[25] O neerlandês acabou ganhando a Bola de Prata da competição, com Kaká sendo eleito o Bola de Ouro.[26]

No dia 21 de junho de 2012, após dez temporadas no Milan, o meia confirmou a saída do clube rossonero.[27]

Botafogo[editar | editar código-fonte]

2012[editar | editar código-fonte]

Depois de diversas especulações, no dia 30 de junho Seedorf assinou com o Botafogo por dois anos.[28]

O jogador neerlandês fez sua estreia no dia 22 de julho, diante do Grêmio, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.[29] Em seu quarto jogo com a camisa do Botafogo, marcou seu primeiro gol pelo Glorioso, numa bela cobrança de falta contra o Atlético Goianiense. O primeiro gol no Engenhão, casa do Botafogo, foi marcado contra o Sport no dia 15 de agosto, na vitória por 2 a 0.[30] Contra o Cruzeiro, fez uma de suas melhores partidas, marcando dois gols e dando o passe para outro. Contra o Corinthians, outra bela atuação: marcou os dois gols do empate em 2 a 2 contra o time paulista.

2013[editar | editar código-fonte]

No dia 27 de janeiro, deu o passe para Bolívar empatar o jogo contra o Fluminense no Engenhão, após dois toques na bola passou para o zagueiro fazer o gol do empate por 1 a 1. Jogou mais uma partida contra o Audax Rio e sua equipe venceu o jogo por 4 a 0 fora de casa e marcou um hat-trick no dia 3 de fevereiro, contra o Macaé, jogo vencido por sua equipe por 3 a 1 de virada.[31][32] Após concretizar a marca, Seedorf chorou e dedicou o gol à avó, que morrera dez dias antes.[33] Marcou mais um gol no dia 7 de fevereiro, contra o Resende, também dando passe para o segundo gol do Botafogo no jogo.[34] Sua equipe venceu o jogo por 4 a 2 em casa.[35][36] No dia 10 de março, após a vitória botafoguense sobre o rival Vasco da Gama por 1 a 0, Seedorf levantou seu primeiro título com a camisa alvinegra, a Taça Guanabara.[37]

Seedorf atuando pelo Botafogo

Após o título do primeiro turno estadual, o ex-craque do Milan e da Seleção Neerlandesa - assim como o próprio Seedorf - Ruud Gullit se disse orgulhoso pelo sucesso do conterrâneo em solo brasileiro.[38] Ao campeão europeu com a Laranja Mecânica em 1988:

Em 24 de março, marcou um gol na vitória por 2 a 1 contra o Madureira fora de casa e no mesmo jogo foi expulso pela primeira vez dentro de campo no final do jogo após demorar a sair de campo depois de ser substituído.[carece de fontes?] Fez o primeiro gol do Botafogo de cabeça na goleada por 4 a 1 em 14 de abril, com gols de seus companheiros Nicolás Lodeiro e Vitinho.[39] Também marcou na semifinal contra Resende em vitória por 5 a 0, e no dia seguinte, segundo o jornal italiano La Gazzetta dello Sport, Seedorf foi especulado para assumir o cargo de técnico no Milan em caso de não classificação para a próxima edição da Champions.[40] O neerlandês continuou no Botafogo e voltou a marcar no Campeonato Brasileiro contra a Ponte Preta, na vitória por 2 a 0 fora de casa, chegando a marca de seu décimo gol pelo Alvinegro em campeonatos nacionais.[41]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

No dia 14 de janeiro de 2014, Seedorf anunciou em uma coletiva sua aposentadoria dos gramados.[42] O meia foi homenageado pela diretoria do Botafogo e recebeu um quadro do presidente Maurício Assumpção.[43]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Seedorf foi destaque na Seleção Neerlandesa e ajudou a equipe a disputar títulos, mas não conquistou nenhum troféu com a Laranja. Pela Seleção principal, disputou quatro competições: as Eurocopas de 1996, 2000 e 2004, além da Copa do Mundo FIFA de 1998, em que os Países Baixos foram eliminados pelo Brasil na semifinal.

Em 2006, mesmo com Seedorf tendo jogado as eliminatórias da Copa do Mundo FIFA em alto nível, o treinador Marco van Basten preferiu dar chances aos mais novos na convocação para a Copa do Mundo FIFA.[44][45][46] Seedorf anunciou sua aposentadoria da Seleção três anos depois, em 2009. No total, atuou pelos Países Baixos em 87 partidas e marcou 11 gols.[carece de fontes?]

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Milan[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado pelo Milan em janeiro de 2014, logo após a demissão do técnico Massimiliano Allegri.[47][48] Estreou no dia 19 de janeiro, na vitória de 1 a 0 sobre o Hellas Verona.[49]

Após o fim da temporada, na qual o clube terminou na oitava posição na Serie A, Seedorf foi demitido no dia 9 de junho e substituído pelo seu ex-companheiro Filippo Inzaghi.[50][51]

Seleção Camaronesa[editar | editar código-fonte]

Foi confirmado como técnico da Seleção Camaronesa no dia 4 de agosto de 2018.[52] Seu auxiliar foi Patrick Kluivert, ex-companheiro de Ajax e Seleção Neerlandesa.[53]

Quase um ano depois, no dia 17 de julho, foi demitido depois da campanha abaixo das expectativas na Copa Africana de Nações.[54] No total pela Seleção foram dez jogos disputados, com três vitórias, três derrotas e quatro empates.[55]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Foi casado com a brasileira Luviana[56] e fala português fluentemente, além de francês, inglês, italiano, espanhol e também neerlandês por ser a língua falada no Suriname.[57][58] Também tem familiares que jogam futebol, são eles: Chedric Seedorf, seu irmão, seu sobrinho Regilio Seedorf e seus primos Jurgen Seedorf e Stefano Maarten Seedorf.[59]

Outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Após um curto período no marketing da empresa Araújo Abreu Engenharia, no Brasil, Seedorf se interessou no trabalho relacionado à mídia nos últimos anos. Ingressou na equipe da BBC, cobrindo a Copa do Mundo FIFA de 2010, na África do Sul, trabalhando como comentarista esportivo.[60][61][62] Ele também apresentou uma série de recursos para a cobertura da BBC, incluindo um sobre a Ilha Robben.[63] Posteriormente voltou a BBC para fazer a cobertura da Euro 2012, o que lhe levou a ser amplamente elogiado pelo Daily Mail.[64] Ele também fez aparições em Match of the Day 2 durante o intervalo de cada jogo da Premier League.[carece de fontes?]

Seedorf está envolvido em muitos projetos de cunho social em seu país de nascimento, o Suriname.[65] Em 2001 construiu o Estádio Clarence Seedorf, no distrito de Para.[66] Em 2007 foi honrado pelo Suriname, recebendo o Comando da alta Ordem da Estrela Amarela.[67] Já em abril de 2011, os Países Baixos também o homenagearam com a comenda de Cavaleiro da Ordem de Orange-Nassau.[68]

No dia 5 de junho de 2009, Seedorf anunciou numa conferência de imprensa após um encontro com Nelson Mandela, que ele se tornou Legacy Champion da Fundação Nelson Mandela.[69]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competições
continentais
Outros
torneios
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Ajax 1992–93 12 1 3 0 3 0 18 1
1993–94 19 4 2 0 2 0 1 0 24 4
1994–95 32 6 3 0 11 0 0 0 48 6
Total 65 11 8 0 16 0 1 0 90 11
Sampdoria 1995–96 32 3 2 1 34 4
Total 32 3 2 1 - - - - 34 4
Real Madrid 1996–97 38 6 4 0 42 6
1997–98 36 6 0 0 11 0 2 1 49 7
1998–99 37 3 5 1 8 3 2 0 52 7
1999–00 10 0 0 0 6 0 16 0
Total 121 15 9 1 25 3 4 1 159 20
Internazionale 1999–00 20 3 5 2 25 5
2000–01 24 2 4 0 7 3 1 0 36 5
2001–02 20 3 2 1 10 0 32 4
Total 64 8 11 3 17 3 1 0 93 14
Milan 2002–03 29 4 3 2 16 1 48 7
2003–04 29 3 5 0 8 0 3 0 45 3
2004–05 32 5 4 1 13 1 0 0 49 7
2005–06 36 4 2 1 11 1 49 6
2006–07 32 7 5 0 14 3 51 10
2007–08 32 7 0 0 7 2 3 1 42 10
2008–09 33 6 1 0 7 0 41 6
2009–10 29 5 0 0 8 1 37 6
2010–11 30 4 2 0 8 0 40 4
2011–12 18 2 3 1 8 0 1 0 30 3
Total 300 47 25 5 100 9 7 1 432 62
Botafogo 2012 24 8 1 1 25 9
2013 34 8 8 0 14 7 56 15
Total 58 16 8 0 1 1 14 7 81 24
Total na carreira 640 100 63 10 159 16 27 9 889 135

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Países Baixos
Ano Jogos Gols
1994 1 1
1995 7 3
1996 11 2
1997 7 0
1998 12 1
1999 7 0
2000 10 2
2001 4 1
2002 2 1
2003 7 0
2004 9 0
2005 0 0
2006 1 0
2007 8 0
2008 1 0
Total 87 11

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 6 de julho de 2019

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Milan 22 11 2 9 50%
Shenzhen 14 4 4 6 28,57%
La Coruña 16 2 6 8 12,5%
Camarões 13 4 5 4 33,3%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Ajax
Real Madrid
Milan
Botafogo

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Ajax
  • Melhor meia-direita da Eredivisie: 1992–93 e 1993–94
  • Bola de Ouro da Eredivisie: 1992–93 e 1993–94
Real Madrid
  • ESM Equipe do Ano: 1996–97
Milan
Botafogo

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Dínamo de Kiev 1-2 Real Madrid 1999/00». UEFA Champions League. 24 de novembro de 1999. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  2. Berend Scholten (1 de abril de 2021). «Four-time winner Seedorf one of a kind» (em inglês). UEFA Champions League. Consultado em 9 de março de 2022 
  3. «Os 40 anos de Seedorf, um ídolo de várias torcidas, um craque de todo o futebol». Trivela. 1 de abril de 2016. Consultado em 15 de junho de 2021 
  4. Túlio Nassif. «Seedorf - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 15 de junho de 2021 
  5. «1995: os 20 anos do assombro mundial do Ajax». Trivela. 22 de maio de 2015. Consultado em 15 de junho de 2021 
  6. Caio Dellagiustina (12 de outubro de 2015). «Como Clarence Seedorf virou um dos gringos mais identificados com o Milan». Calciopédia. Consultado em 15 de junho de 2021 
  7. «Seedorf repassa carreira e lembra quando recusou três propostas de gigantes da Premier League». ESPN Brasil. 2 de abril de 2020. Consultado em 15 de junho de 2021 
  8. «Ajax 1-0 Milan» (em inglês). UEFA.com. Consultado em 15 de junho de 2021. Arquivado do original em 12 de abril de 2012 
  9. «O golaço de Seedorf ao Atlético de Madrid». A BOLA. 12 de setembro de 2014. Consultado em 18 de julho de 2019 
  10. Tauan Ambrosio (8 de abril de 2017). «O gol de Seedorf, contra o Atleti, que embebedou muita gente». Goal.com. Consultado em 15 de junho de 2021 
  11. Leandro Stein (1 de abril de 2015). «Do meio da rua e em pleno clássico: relembre o maior golaço da carreira de Seedorf». Trivela. Consultado em 15 de junho de 2021 
  12. «Clarence Seedorf» (em inglês). Site oficial do Milan. Consultado em 15 de junho de 2021. Arquivado do original em 27 de janeiro de 2012 
  13. «Wijnaldum jongste Feyenoord-debutant». NOS.nl. 8 de abril de 2007. Consultado em 15 de junho de 2021. Arquivado do original em 30 de setembro de 2007 
  14. John May (22 de maio de 2007). «AC Milan pen pics» (em inglês). BBC Sport. Consultado em 15 de junho de 2021 
  15. Anthony Wright (16 de abril de 2010). «Derby d'Italia Debate: Top 5 Inter-Juventus Matches From The Past» (em inglês). Goal.com. Consultado em 15 de junho de 2021 
  16. «Agreement reached between Inter and AC Milan for Seedorf» (em inglês). Site oficial da Internazionale. 30 de maio de 2002. Consultado em 15 de junho de 2021 
  17. «Spanish Cumpleanos: Javier Irureta» (em inglês). Goal.com. 1 de abril de 2010. Consultado em 15 de junho de 2021 
  18. Cadu Arraes. «O Milan superou o nervosismo e a Juventus na final da Champions League de 2003». Calciopédia. Consultado em 15 de junho de 2021 
  19. «Eurostars! Giggs and Gerrard named in top 10 best ever Champions League players» (em inglês). Daily Mail. 18 de novembro de 2011. Consultado em 15 de junho de 2021 
  20. «Com reviravolta, Liverpool bate o Milan e conquista a Europa». UOL. 25 de maio de 2005. Consultado em 15 de junho de 2021 
  21. «Inesquecível, última Champions do Liverpool desafiou a lógica e marcou uma geração». Jovem Pan. 26 de maio de 2018. Consultado em 15 de junho de 2021 
  22. «Punishments cut for Italian clubs» (em inglês). BBC Sport. 26 de julho de 2006. Consultado em 15 de junho de 2021 
  23. «Milan derruba o Manchester com autoridade e revê algoz de 2005». UOL. 2 de maio de 2007. Consultado em 15 de junho de 2021 
  24. «Milan obtém vingança contra Liverpool para levar 7º título europeu». UOL. 23 de maio de 2007. Consultado em 15 de junho de 2021 
  25. «Kaká brilha, Milan vence Boca e vira o maior campeão mundial». UOL. 16 de dezembro de 2007. Consultado em 15 de junho de 2021 
  26. «Kaká conquista a "Bola de Ouro" de melhor do Mundial de Clubes». UOL. 16 de dezembro de 2007. Consultado em 15 de junho de 2021 
  27. «Seedorf confirma saída do Milan e deixa futuro em aberto». VEJA. 21 de junho de 2012. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  28. Fred Huber e Thales Soares (30 de junho de 2012). «Sonho vira realidade: Seedorf aceita proposta e vai jogar pelo Botafogo». GloboEsporte.com. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  29. «Grêmio estraga festa de Seedorf e vence o Botafogo no Rio de Janeiro». VEJA. 22 de julho de 2012. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  30. Ramon Andrade (15 de agosto de 2012). «Botafogo 2 x 0 Sport – Leão segue sem vencer no Brasileirão». Blog do Torcedor. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  31. «Macaé 1 x 3 Botafogo». GloboEsporte.com. 3 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  32. «O choro e os gols do craque: com três de Seedorf, Bota ganha de virada». GloboEsporte.com. 3 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  33. «Seedorf chora e lembra morte da avó após hat-trick pelo Botafogo». Terra. 3 de fevereiro de 2013. Consultado em 9 de março de 2022 
  34. «Botafogo x Resende». GloboEsporte.com. 7 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  35. «Categoria, sorte e gol: em noite de Seedorf, Bota vira sobre o Resende». GloboEsporte.com. 7 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  36. «Professor Seedorf comanda a turma do Botafogo». Consultado em 9 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 21 de outubro de 2013 
  37. «A primeira Taça de Seedorf: Botafogo vence Vasco e é campeão da Taça GB». GloboEsporte.com. 10 de março de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  38. «Gullit revela orgulho do sucesso de Seedorf no quente Rio de Janeiro». ESPN Brasil. 13 de março de 2013. Consultado em 15 de junho de 2021 
  39. «Seedorf Revive Garrincha, Botafogo bate Nova Iguaçu e garante liderança». Conjuntura Online. 14 de abril de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  40. «Seedorf é forte candidato a substituir Allegri no Milan, afirma jornal italiano». GloboEsporte.com. 28 de abril de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  41. «Botafogo vence Ponte fora de casa e dorme líder do Brasileiro». Folha de S.Paulo. 8 de junho de 2013. Consultado em 1 de abril de 2020 
  42. «Seedorf anuncia adeus ao Bota: 'Que possa manter o que a gente construiu'». GloboEsporte.com. 14 de janeiro de 2014. Consultado em 15 de junho de 2021 
  43. «Seedorf anuncia fim da carreira e ganha quadro do Botafogo». Terra. Consultado em 15 de junho de 2021 
  44. «Van Basten faz pré-convocação e não chama Davids, Seedorf e Makaay». UOL. 8 de maio de 2006. Consultado em 15 de junho de 2021 
  45. «Van Basten deixa algumas estrelas holandesas fora da Copa do Mundo». UOL. 14 de maio de 2006. Consultado em 15 de junho de 2021 
  46. «Holanda já tem seus 23 para a Copa». GloboEsporte.com. 14 de maio de 2006. Consultado em 15 de junho de 2021 
  47. «Milan: Allegri não resiste a vexame e é demitido. Seedorf pode assumir». GloboEsporte.com. 13 de janeiro de 2014. Consultado em 15 de junho de 2021 
  48. «Milan anuncia chegada de Seedorf à Itália nesta quarta: 'Grande aventura'». GloboEsporte.com. 15 de janeiro de 2014. Consultado em 15 de junho de 2021 
  49. «Balotelli marca de pênalti e salva estreia de Seedorf no Milan». UOL. 19 de janeiro de 2014. Consultado em 15 de junho de 2021 
  50. «Milan confirma demissão de Seedorf e Filippo Inzaghi como novo técnico». GloboEsporte.com. 9 de junho de 2014. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  51. «Milan demite Seedorf e confirma Inzaghi como novo treinador». Terra. 9 de junho de 2014. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  52. «Holandês Seedorf é anunciado como novo técnico de Camarões». Folha de S.Paulo. 4 de agosto de 2018. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  53. «Seedorf acerta para dirigir Camarões e terá Kluivert como auxiliar, diz imprensa local». GloboEsporte.com. 4 de agosto de 2018. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  54. «Seedorf é demitido da Seleção de Camarões depois de campanha ruim na Copa Africana de Nações». GloboEsporte.com. 16 de julho de 2019. Consultado em 1 de abril de 2020 
  55. Bruno Bonsanti (16 de julho de 2019). «Demitido de Camarões, Seedorf coleciona mais uma decepção na sua carreira como técnico». Trivela. Consultado em 15 de junho de 2021 
  56. Rodrigo Stafford (14 de julho de 2012). «Luviana e Seedorf: A história da princesa de Realengo com o craque holandês». Extra. Consultado em 15 de junho de 2021 
  57. «Um perfil de Clarence Seedorf, um cidadão do mundo». Estadão. 30 de setembro de 2012. Consultado em 15 de junho de 2021 
  58. «Poliglotas do futebol: conheça os boleiros que falam mais de 5 línguas». UOL. 11 de junho de 2017. Consultado em 15 de junho de 2021 
  59. «Time potiguar contrata primo de Seedorf após conversa com jogador do Botafogo». UOL. 19 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  60. «Adebayor, Seedorf e Klinsmann serão comentaristas de TV inglesa no Mundial». GloboEsporte.com. 22 de abril de 2010. Consultado em 15 de junho de 2021 
  61. «Klinsmann and Seedorf join BBC's World Cup team» (em inglês). BBC Sport. 22 de abril de 2010. Consultado em 15 de junho de 2021 
  62. «Comentarista na África, holandês Seedorf já pensa na Copa do Brasil». ESPN Brasil. 11 de junho de 2010. Consultado em 15 de junho de 2021 
  63. «World Cup 2010: Clarence Seedorf goes to Robben Island» (em inglês). BBC Sport. 7 de julho de 2010. Consultado em 15 de junho de 2021 
  64. «World Cup 2010: Clarence Seedorf has the class to admit that Dutch are lucky» (em inglês). Daily Mail. 8 de julho de 2010. Consultado em 15 de junho de 2021 
  65. Janir Júnior (22 de julho de 2012). «Várias faces de Seedorf: herói do Suriname começa história no Brasil». GloboEsporte.com. Consultado em 15 de junho de 2021 
  66. «Clarence Seedorf oferece estádio ao Suriname». Record. 4 de junho de 2001. Consultado em 15 de junho de 2021 
  67. a b «Seedorf é condecorado pelo Suriname». GloboEsporte.com. 25 de julho de 2007. Consultado em 15 de junho de 2021 
  68. «AC Milan midfielder Clarence Seedorf after being appointed Knight in the Order of Orange Nassau» (em inglês). 28 de abril de 2011 
  69. «Clarence Seedorf becomes a Legacy Champion» (em inglês). Nelson Mandela Foundation. 5 de junho de 2009. Consultado em 15 de junho de 2021 
  70. Raphael Zarko e Thales Soares (20 de maio de 2013). «Botafogo recebe a taça e domina seleção do Campeonato Carioca». GloboEsporte.com. Consultado em 6 de novembro de 2021 
  71. «Lista de craques de Pelé para Fifa tem maioria brasileira». BBC Brasil. 4 de março de 2004. Consultado em 6 de novembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Clarence Seedorf